Info icon Please note some changes to our opening hours - we will be closed from August 15th - 26th. We will reopen on August 29th.

Doença das gengivas e saúde geral: a conexão boca-corpo

Clínica Dentária

A pesquisa provou recentemente o que os dentistas suspeitavam há muito tempo: que existe uma forte conexão entre a doença periodontal e outras condições crônicas, como diabetes, doenças cardíacas e osteoporose. A doença periodontal é caracterizada por inflamação do tecido gengival, presença de bactérias causadoras de doenças e infecção abaixo da linha da gengiva. Infecções e bactérias na boca podem se espalhar por todo o corpo e levar a uma série de problemas de saúde problemáticos. Portanto, manter uma excelente higiene bucal e reduzir a progressão da doença periodontal através do tratamento trará benefícios além da prevenção de doenças gengivais e perda óssea. Também pode salvá-lo da chance de desenvolver outra condição grave.

  • Doença Periodontal e Diabetes;
  • Doença Periodontal, Cardiopatia e Acidente Vascular Cerebral:
  • Doença Periodontal e Gravidez;
  • Doença Periodontal e Doença Respiratória;
  • Doença Periodontal e Osteoporose;
  • Doença Periodontal e Diabetes.

Gráfico mostrando os tipos de doença gengival

Diabetes é uma doença grave e incurável caracterizada por excesso de glicose ou açúcar no sangue. O diabetes tipo II ocorre quando o corpo é incapaz de regular os níveis de insulina, o que significa que muita glicose permanece no sangue. Diabéticos tipo I não podem produzir insulina alguma. O diabetes afeta entre 12 e 14 milhões de americanos e pode levar a uma variedade de problemas de saúde, como doenças cardíacas e derrames. A pesquisa mostrou que as pessoas com diabetes são mais propensas a desenvolver doença periodontal do que os não diabéticos. Diabéticos com controle insuficiente de açúcar no sangue também desenvolvem doença periodontal com mais frequência e gravidade do que aqueles que têm um bom controle sobre o diabetes. A conexão entre diabetes e doença periodontal resulta de uma variedade de fatores. As pessoas que sofrem de diabetes são mais suscetíveis a todos os tipos de infecções, incluindo infecções periodontais, devido ao fato de o diabetes retardar a circulação, permitindo que as bactérias colonizem. O diabetes também reduz a resistência geral do corpo à infecção, o que aumenta a probabilidade de as gengivas serem infectadas. Casos moderados a graves de doença periodontal elevam os níveis de açúcar no corpo, aumentando a quantidade de tempo que o corpo tem para funcionar com alto nível de açúcar no sangue. Diabéticos com periodontite são mais propensos a sofrer com níveis aumentados, dificultando o controle do açúcar no sangue. Além disso, altos níveis de glicose na saliva promovem o crescimento de bactérias causadoras de doenças gengivais. O espessamento dos vasos sanguíneos é outra preocupação para os diabéticos. Os vasos sanguíneos funcionam fornecendo nutrientes e removendo produtos residuais do corpo. Quando tornam-se espessadas pelo diabetes, essas trocas são incapazes de ocorrer. Como resultado, resíduos nocivos são deixados na boca e podem enfraquecer a resistência do tecido gengival, levando a infecções e doenças. O tabagismo e o uso de tabaco são prejudiciais à saúde bucal e geral de qualquer pessoa, mas são particularmente prejudiciais aos diabéticos. Os fumantes diabéticos com 45 anos ou mais têm, de fato, 20 vezes mais chances de desenvolver doença periodontal do que aqueles que não fumam. É muito importante que todos escovem os dentes de forma eficaz, usem fio dental diariamente e visitem o dentista regularmente, mas é especialmente essencial que os diabéticos pratiquem essas medidas. Quando os dentes não são escovados, as bactérias nocivas podem ingerir o excesso de açúcar e colonizar abaixo da linha da gengiva.

Doença Periodontal, Doença Cardíaca e Acidente Vascular Cerebral

A doença cardíaca coronária ocorre quando proteínas gordurosas e uma substância chamada placa se acumulam nas paredes das artérias. Isso faz com que as artérias se estreitem, constringindo o fluxo sanguíneo. O oxigênio é impedido de viajar para o coração, o que resulta em falta de ar, dor no peito e até ataque cardíaco. A ligação entre a doença periodontal e a doença cardíaca é tão evidente que os pacientes com problemas bucais são quase duas vezes mais propensos a sofrer de doença arterial coronariana do que aqueles com boca saudável. A doença periodontal também provou exacerbar as condições cardíacas existentes. Além disso, sabe-se que pacientes com doença periodontal são mais suscetíveis a acidentes vasculares cerebrais. Um acidente vascular cerebral ocorre quando o fluxo sanguíneo para o cérebro é subitamente interrompido. Isso pode ocorrer, por exemplo, quando um coágulo sanguíneo impede que o sangue chegue ao cérebro. Uma das causas da conexão entre doença periodontal e doença cardíaca é a entrada de bactérias orais na corrente sanguínea. Existem muitas vertentes de bactérias periodontais. Alguns fios entram na corrente sanguínea e se ligam às placas de gordura nas artérias coronárias. Esse anexo leva à formação de coágulos e aumenta o risco de uma variedade de problemas, incluindo ataque cardíaco. A inflamação causada pela doença periodontal cria um aumento de glóbulos brancos e proteínas C-reativas (PCR). A PCR é uma proteína que há muito está associada a doenças cardíacas. Quando os níveis são aumentados no corpo, amplifica a resposta inflamatória natural do corpo. Bactérias da doença periodontal podem entrar na corrente sanguínea, fazendo com que o fígado produza PCR extra, o que leva a artérias inflamadas e possivelmente coágulos sanguíneos. Artérias inflamadas podem levar ao bloqueio, o que pode causar ataques cardíacos ou derrames. A doença cardíaca coronária é a principal causa de morte nos Estados Unidos para homens e mulheres. A adoção de práticas positivas de higiene bucal e a obtenção de tratamento para problemas periodontais podem ajudar a prevenir o risco de desenvolver essa condição infeliz.

Doença Periodontal e Gravidez

As mulheres grávidas com doença periodontal expõem seus filhos ainda não nascidos a uma variedade de riscos e possíveis complicações. A gravidez causa muitas alterações hormonais nas mulheres, o que aumenta a probabilidade de desenvolver doenças periodontais, como gengivite ou inflamação da gengiva. Esses problemas bucais têm sido associados à pré-eclâmpsia, ou baixo peso ao nascer do bebê, bem como ao nascimento prematuro. Felizmente, interromper a progressão da doença periodontal por meio da prática de altos padrões de higiene bucal e tratamento de problemas existentes pode ajudar a reduzir o risco de complicações relacionadas à doença periodontal em até 50%. Existem vários fatores que contribuem para que a doença periodontal possa afetar a mãe e o feto. Uma delas é um aumento da prostaglandina em mães com estágios avançados de doença periodontal, particularmente periodontite. A prostaglandina é um composto indutor de trabalho encontrado nas bactérias orais associadas à periodontite. Como a periodontite aumenta os níveis de prostaglandina, a mãe pode entrar em trabalho de parto prematuramente e dar à luz um bebê com baixo peso ao nascer. Outro composto que foi recentemente associado ao nascimento prematuro e baixo peso ao nascer é a proteína C-reativa (PCR). A PCR é uma proteína que há muito está associada a doenças cardíacas. A doença periodontal aumenta os níveis de PCR no corpo, que amplificam a resposta inflamatória natural do corpo. Bactérias da doença periodontal podem entrar na corrente sanguínea, fazendo com que o fígado produza PCR extra, o que leva a artérias inflamadas e possivelmente coágulos sanguíneos. Artérias inflamadas podem levar ao bloqueio, o que pode causar ataques cardíacos ou derrames. Embora não seja completamente entendido por que a PCR elevada também causa pré-eclâmpsia, estudos provaram que taxas extremamente altas de PCR no início da gravidez definitivamente aumentam o risco. Finalmente, as bactérias que invadem e vivem nas cavidades gengivais de uma boca doente podem viajar pela corrente sanguínea e afetar outras partes do corpo. Para mulheres grávidas, a pesquisa mostrou que essas bactérias podem colonizar as glândulas mamárias internas e as artérias coronárias. Se você estiver grávida, é importante praticar cuidados domiciliares eficazes para prevenir doenças gengivais. Drs. Berdan, Robinson, Concepcion, Kim e Quinn podem ajudar a avaliar seu nível de saúde bucal e desenvolver medidas preventivas e planos de tratamento para melhor proteger você e seu bebê.

Doença Periodontal e Doença Respiratória

A doença respiratória ocorre quando gotículas finas são inaladas da boca e da garganta para os pulmões. Essas gotículas contêm germes que podem se espalhar e se multiplicar dentro dos pulmões para prejudicar a respiração. Pesquisas recentes também provaram que as bactérias encontradas na boca e na garganta podem ser atraídas para o trato respiratório inferior e causar infecção ou piorar as condições pulmonares existentes. As bactérias que crescem na cavidade oral e viajam para os pulmões podem causar problemas respiratórios, como pneumonia. Isso ocorre principalmente em pacientes com doença periodontal. A doença periodontal também provou ter um papel na contração de bronquite e enfisema. A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), uma condição respiratória caracterizada pelo bloqueio das vias aéreas e causada principalmente pelo tabagismo, também provou piorar se o paciente também tiver doença periodontal. Uma das razões para a ligação entre problemas respiratórios e doença periodontal é a baixa imunidade. Os pacientes que apresentam problemas respiratórios geralmente têm baixa imunidade, o que significa que as bactérias podem crescer facilmente acima e abaixo das linhas das gengivas sem serem confrontadas pelo sistema imunológico do corpo. Uma vez que a doença periodontal é contraída dessa maneira, ela só irá progredir e piorar os problemas respiratórios. A inflamação do tecido oral também tem sido associada a problemas respiratórios. As bactérias orais que causam a irritação podem viajar para os pulmões e contribuir para a inflamação do revestimento do pulmão. Isso cria problemas respiratórios porque limita a quantidade de ar que pode passar livremente pelos pulmões. Se você for diagnosticado com doença respiratória ou doença periodontal, é possível que o Dr. Berdan, Robinson, Concepcion, Kim e Quinn trabalharão com seu médico para planejar a melhor forma de tratar ambas as condições e eliminar outras complicações.

Doença Periodontal e Osteoporose

A osteoporose é uma condição comum em pacientes idosos, e particularmente em mulheres, caracterizada pelo afinamento do tecido ósseo e perda de densidade óssea ao longo do tempo. A osteoporose ocorre quando o corpo não consegue formar osso novo suficiente, ou quando o corpo absorve muito osso velho. A principal causa da osteoporose é uma queda no estrogênio nas mulheres na menopausa, ou uma queda na testosterona entre os homens. As pessoas que sofrem de osteoporose devem ter um cuidado extra nas atividades diárias, pois correm maior risco de fraturas ósseas. Como a doença periodontal também pode levar à perda óssea, as duas doenças foram estudadas para possíveis conexões. A pesquisa descobriu que as mulheres com bactérias periodontais na boca eram mais propensas a ter perda óssea na cavidade oral e na mandíbula, o que pode levar à perda de dentes. Estudos conduzidos por um período de 10 anos também descobriram que pacientes com osteoporose podem reduzir significativamente a perda de dentes controlando a doença periodontal. Além disso, verificou-se que as mulheres na pós-menopausa que sofrem de osteoporose são 86% mais propensas a desenvolver doença periodontal. Uma das razões para a conexão entre osteoporose e doença periodontal é uma deficiência de estrogênio. A deficiência de estrogênio acelera a progressão tanto da perda óssea oral quanto de outras perdas ósseas. Também acelera a taxa de perda de fibras e tecidos que mantêm os dentes estáveis. A perda dentária ocorre quando essas fibras são destruídas. A baixa densidade mineral óssea é uma das várias causas da osteoporose. A inflamação da doença periodontal enfraquece os ossos mais propensos a quebrar. É por isso que a periodontite pode ser particularmente prejudicial e progressiva para pacientes com osteoporose. Se você for diagnosticado com osteoporose, é extremamente importante tomar medidas preventivas contra a doença periodontal para proteger seus dentes e ossos orais.

Disponibilidade

Doença das gengivas e saúde geral: a conexão boca-corpo treatment is available in the Anne Swart Clinic in  Portimão
Doença das gengivas e saúde geral: a conexão boca-corpo treatment is available in the Anne Swart Clinic in  Sintra